Por Carla Caroline

“Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra” (II Timóteo 3:10 – 11).

Crer nesses versos é crer na sabedoria soberana de Deus. É crer que Ele, como Criador, sabe aquilo que é melhor para nós. É confiar que se fizermos o que Ele pede, seremos felizes. Crer nesses versos é viver sob os preceitos revelados em Sua Santa Palavra. É fazer da Bíblia a luz que guia nossas atitudes, nossa conduta, nossos pensamentos e nosso caráter. Crer nesses versos é legitimar o conhecimento de Deus como estando acima de qualquer outro.

Me debruço sobre as descobertas científicas e quanto mais faço isso, mais consigo compreender aquilo que está na Bíblia. A Ciência, a Filosofia, as Artes e tudo o mais são, senão, coadjuvantes na compreensão de tudo aquilo que Deus fez, de tudo aquilo que Ele deseja de nós e de tudo aquilo espera pra nós; elas atuam de forma a acrescentar “cimento” à estrutura de nossa fé.

Observando atentamente é possível perceber que a Ciência não descredita a Bíblia e o Espírito que a inspirou, antes a confirma, em tudo. E, não, os mandamentos, os conselhos e os preceitos ali expressos não estão sujeitos ao tempo, à cultura ou, pior ainda, à nossa vontade. A vida cristã, pautada na Bíblia, não se trata de um ‘buffet’ em que você pega aquilo que mais lhe apraz e rejeita aquilo que não lhe parece bom. Não. A vida cristã consiste em viver integralmente aquilo que Deus pede de nós.

É justamente por transformar o Cristianismo em um grande restaurante self service que a Bíblia e seus seguidores perderam o “crédito” aos olhos dos descrentes. Quanto mais insistirmos nesse relativismo, mais condenaremos não apenas o Cristianismo ao apagamento social, mas condenaremos a nós mesmos enquanto sociedade. Não se trata de fanatismo, mas de fidelidade. Quem ainda não compreendeu a diferença básica entre essas duas coisas, de fato, não compreendeu a beleza dos preceitos divinos, e a grande diferença que eles podem fazer na vida de quem os obedece, em sua totalidade.

Publicidade